10 fevereiro 2012

Blue Moon

Demorou mas o resultado foi um cap de 5000 palavras People! Espero que gostem
CAPITULO XXI

Estou a dois minutos de casa e ainda tenho tanto para fazer, cheguei a casa e corri para o meu quarto, o Jake já lá não estava e apesar de serem 3 da tarde ainda dava para ouvir o ressonar dele no seu quarto.

Fui para a casa de banho, tomei um banho rápido e vesti um bom fato de treino, afinal vou treinar agora (http://www.polyvore.com/cgi/set?id=43078034) desci a correr e com o meu dom indiquei ao tio Jazz que me seguisse, passei pela cozinha para pegar em alguma coisa para comer e sai com o tio Jazz atrás.



- Tio eu sei que está a ser muito difícil para ti esta situação, mas eu gostava que me ajudasses a melhor os meus dotes de luta, para que a luta dure o menos possível e possamos ir buscar a tia Lice . – Falei mas depois acrescentei. - Se não quiseres tudo bem eu compreendo.

- Ataca-me – Foi a única coisa que ele disse e assim começou o treino.



Tania POV



Enquanto a Renesmee trinava com o Jasper nós ( eu e o Alec) chama-mos a Isabella para que nos seguisse, ela tranquilizou o seu marido e seguiu-nos com a maior das confianças. Quando já estávamos suficientemente longe para que ninguém nos ouvisse, paramos.

- O que querem? – Perguntou.

- Nós tivemos uma ideia que nos pode ajudar muito na batalha. – Falei

- E o que é que eu tenho a ver com isso? – Perguntou com uma certa dúvida na voz.

- Podes tentar converter o teu escudo mental em escudo físico e mental. – Respondeu o Alec.

- Isso é possível?

- Vive num mundo de vampiros, a senhora é uma vampira com um dom, tenho um a filha híbrida, que é uma bruxa, o seu melhor amigo e um transmorfo ainda acredita que alguma coisa pode ser impossível?

- Realmente tens razão Tania. Mas trata-me por tu.

- Sim senhora, quer dizer Bella, então aceitas?

- Qualquer coisa que me ajude a salvar a minha família. – Disse com convicção. – O que tenho de fazer?

- Isso é aqui com o Alec, eu apenas vou clicar no botão, senta-te por favor. – O Alec sabia o que fazer fora ele que ajudara Renata com o escudo dela, eu só vou ligar o interruptor. – Eu irei entrar dentro do teu dom e fazê-lo saltar cá para fora depois o Alec vai te ajudar na transição e no controlo, nessa parte eu já cá não estarei porque seria perigoso para qualquer pessoa que estivesse a assistir.

- Okay

- Tenta descontrair por favor. – Disse eu enquanto me sentava atrás dela com a mão a centímetros de onde deveria bater o coração. Respirei fundo e fechei os olhos e encontrei o escudo dela, estava preso, rapidamente o soltei, levantei-me rapidamente e deixei-os a sós eu não sabia como lidar com aqueles dons mas ele sabia era a área dele, iria se tornar muito perigosos para mim se continuasse ali então decidi seguir para a Nessie, onde encontraria o meu irmão. Iremos fazer-lhe uma breve introdução ao poder que eu tenho em mente e depois ela só tem que treiná-lo este é fácil. Vai demorar segundos até que ela o domine.

- Ei mano! – Falei ao ver o Ian. – Dá-me só um segundo que eu já volto com a Nessie. – Entrei na casa dos Cullen rapidamente, disse ao Edward que não se preocupasse que a Bella estava bem e saí, peguei na Renesmee que estava na cozinha e saímos. Parei em frente ao meu irmão e todos os Cullen vieram ver o ´´ treino ´´. Infelizmente vamos desiludi-los.

- Nessie. – Começou Ian. – Sabemos que já controlaste bem o teu outro poder agora o ultimo que te vamos ensinar antes da batalha pode te vir a ser o mais útil de todos, e apenas tu o vais poder usar é único.

- Eu já falei dele contigo, tu podes colocar os teus pensamentos na mente dos outros, vasculhar dentro dela, então também poderás utilizar o dom dessa pessoa, ou melhor clona-lo por assim dizer. Se tocares numa pessoa com um dom ou esse dom for experimentado em ti podes escolher que fique a fazer parte de ti também. – Continuei.

- O único problema é que vais ter que aprender a usá-lo sozinha, nós só sabemos que ele faz parte de ti não o sabemos utilizar. – Concluiu Ian.

- Okay – Assentiu. – Irei treiná-lo até o dominar completamente. – Depois ela caiu de joelhos á nossa frente. – Muito obrigado, sem vocês não teríamos o mínimo de hipóteses de ganhar aos Volturi. – Instantaneamente me coloquei de joelhos á sua frente, afagando-lhe a cara.

- Nessie calma, tu e a tua família deram-nos mais do que nós alguma vez vos poderemos dar.

- Isso não e verdade. – Respondeu a sorrir.

- Anda levanta-te, lembra-te nunca te ajoelhes perante ninguém. – Levantamo-nos as duas e sorrimos. Ela quis que fossemos para casa, eu e o Ian seguimo-la, ao entrar demos de cara com o Jacob, a Nessie correu para ele e pediu-lhe muita desculpa, que não estava em si etc…

Não é falta de educação mas eu, agora, não sou sentimental sou rígida e não gosto de manifestações de amor. Consegui ver o Carlisle a entrar e a dirigir-se a nós (a mim e ao Ian) entregou-nos uma caixa com um cartão de credito com o meu nome o outro com o nome do Ian, fiquei a olhar para ele com cara de idiota.

- Vocês precisam de roupa e coisas para vocês utilizem os cartões á vontade. – Apenas disse aquilo.

- Ei que fixe! Obrigado. – Exclamou Ian.

- Mas…não temos nada que lhe possamos dar… - Ainda estou em choque.

- Tania querida, pensa que o dinheiro é teu, não é nada demais. – Assegurou Esme.

- Muito obrigado – Agradecemos eu e Ian ao mesmo tempo. Mal acabamos de falar chegou a Bella e o Edward foi a correr ter com ela, ela estava com um grande sorriso na cara o que queria dizer que tinha conseguido dominar o escudo. Segundos depois chegou Alec ligeiramente desarrumado. Mal posso esperar por ir fazer compras, adoro roupa! Vestidos, maquilhagem! Tudo preto sempre. Sem pensar duas vezes falei:

- Nessie queres vir as compras?

- Nah, vou ficar por aqui. – Sorriu ainda abraçada ao Jacob.

- E tu mano?

- Nah, sabes que odeio compras. – AFF não acredito que vou ás compras sozinha.

- Sabes conduzir? - perguntou Edward

- Não.

- Eu sei eu levo-a. – Falou Alec apanhando no ar as chaves do Volvo. Seguimos em silêncio até ao shopping o que vale é que aqui podemos sair de dia. Fiz um feitiço silencioso para que os humanos vissem os meus olhos da cor preta.

- Obrigado não tinhas de vir podia ter vindo a pé. – Falei.

- Na boua eu gostos de sair, e da tua companhia.

- Vais te arrepender de ter vindo – Falei com um sorriso malicioso nos lábios, ele não me conhece eu costumava passar os dias fechados no centro comercial a experimentar roupa, já que não a podia comprar. – Só saímos daqui amanha.

- Okay. – Chegamos, agarrei-lhe o braço e dirigimo-nos a uma loja, peguei num monte de roupa (a maioria vestidos). Fui me vestindo e mostrando ao Alec, ate que apenas ficaram cerca de 20 vestidos para levar. ( Links das roupas que ela escolheu para comprar : http://www.polyvore.com/cgi/set?id=43168890






http://www.polyvore.com/cgi/set?id=43223590 e mais alguns que irão ver depois. )

Saímos, ainda tenho muita coisa para comprar os Cullen vão ficar falidos hoje, mas neste momento pouco me importo, há muito tempo que não me divertia assim.

Paramos só para conversar um pouco antes de voltarmos á corrida, tadino tenho pena dele estar-me a aturar.

- Ainda não estas cansado? – Perguntei.

- Até é divertido, pareces uma criança a experimentar roupa.

- Obrigado? Acho eu… - Ele deu-me um sorriso torto capaz de acelerar o meu coração se ele ainda batesse, claro. – Levanta-te. - Ordenei. – Ainda temos muito para fazer, vamos á maquilhagem agora. – Mais uma vez agarrei-lhe o braço e seguimos.


Comprei muita maquilhagem, faltava comprar um coisa essencial antes de passar para os acessórios, roupa intima… Que vergonha não vou com ele aqui né?

- Alec. – Comecei, enquanto pagava. – Já temos bastantes sacos e como ainda falta comprar bastante podias ir pousar ao carro. Se quando chegares eu não estiver estou ali okay? Ate já. – Falei apontando para loja e dirigindo-me para lá. Vou ser rápida.


Paguei e regressei lá para fora, quase no mesmo segundo apareceu o Alec e eu entreguei-lhe os sacos, agora falta os acessórios, e se não me lembrar de comprar mais roupa. Comprei bastante até, também não posso deixar os Cullen completamente sem dinheiro e ainda vai durar um tempo.

- Para onde vamos agora? – Perguntou o Alec.

- Não sei… - AH! Também falta pijamas. – Decide tu. Pijamas ou acessórios?

- Hum… Para que precisas de pijamas já não dormes.

- Ah pois tens razão. Então vamos aos acessórios, estou com uma ideia maluca anda. – Puxei-o. – Vou comprar coisas de vampiros! Para simbolizar o que sou. – Dei um grande sorriso. – Mas sem que as pessoas saibam.

- És mesmo esquisita.

- Yah, nasci assim e vou morrer assim. – Entramos na loja e começamos a ver, não havia muita coisa mas ainda compramos alguns colares. ( Link: http://www.polyvore.com/cgi/set?id=43259474 )

- Posso-te fazer uma pergunta? – Começou. – Mas promete-me que respondes 100% a verdade.

- Yah, na boua pergunta.

- Porque aceitaste vir comigo? Não me conheces não sabias se te queria matar, ferir ou qualquer coisa desse género. – Quando ele falou aquilo e estava a pegar num anel para ver se me servia. Fiquei completamente imóvel, levantei-me e olhei para ele, olhos nos olhos. Os seus olhos já se aproximavam do dourado dos Cullen, mas ainda não era tão bonitos.

- Eu sei que não me ias magoar, se não, não te tinhas dado ao trabalho de me salvar. Mas queres me matar prendo-te já á parede.

- Não calma, mas és muito estranha nasceste ainda nem fez 24 horas e andas no meio dos humanos como se ainda fosses um, confias em toda a gente sem pedir a mesma coisa em troca. Não te compreendo.

- Sabes também não te compreendo, deixaste a tua família pelos Cullen, deixaste a tua irmã e para quê? – Depois arrependi-me. – Desculpa não devia ter dito aquilo. Vamos apenas continuar com as compras. Aqui não é um bom sítio para falarmos disto muito menos para discutirmos. – Virei costas e continuei a pegar em coisas e a por no cesto ( Link: http://www.polyvore.com/cgi/set?id=43260024 )



Alec POV

Ela virou costas e continuou a comprar, tinha uma certa razão, mas continuava a dar-me voltas a cabeça. Fiquei calado enquanto ela escolhia o resto das coisas. Encostei-me á parede a observá-la. Tem o cabelo pela cintura castanho-escuro com lindas madeixas, é esguia e alta tem quase a minha altura, pálida obviamente tem a cara oval, tinha uns lindos olhos verdes que agora viraram vermelhos devido á transformação, tem uns lábios carnudos, uns olhos grandes que a fazem parecer uma criança quando quer, tem um nariz perfeito …

- Vamos? – Perguntou.

- Ah sim claro. Ainda vamos a mais algum lado?

- Hum… Não sei já está a escurecer… alguma ideia acho que já tenho o suficiente para umas semanas.

- Então vamos para casa. – Falei.

- Pera! – Praticamente gritou assustando-me, virei-me.

- Diz.

- Quero comer um gelado. – Disse.

- Mas tu não comes.

- Mas quero ver o que acontece se comer comida humana. – Fez beicinho. – Please?

- Ta bem tu é que sabes. – Fomos a um café e ela comprou um gelado de chocolate. – Vais te arrepender depois não digas que não te avisei. – Ela começou a comer o gelado mas parou logo e colocou-o no lixo.

- Blac! Não gostei da experiência. – Depois desapareceu por um segundo e consegui ouvi-la a vomitar, tivemos sorte que não estava aqui ninguém.

- Eu avisei-te, falei quando ela apareceu.

- Blac… - Repetiu.

- Então vamos para casa? Ou não? – Perguntei.

- Não. – Deu-me um grande sorriso. – Fecha os olhos ordenou-me enquanto pegava no meu braço e me levava para fora da vista das pessoas.

- Porque?

- Porque eu quero. Fecha já. – Ordenou e eu obedeci sem reclamar esta miúda ás vezes assusta-me. Senti ela a pegar em mim, e embora eu fosse mais alto uns centímetros que ela colocou-me nas suas costas, as mãos do seu pescoço como se eu fosse uma criança, e começou a correr, continuei com os olhos fechados, um choque percorreu o meu corpo e depois parou ao mesmo tempo que ela me dizia que já podia abrir os olhos. Já estava no chão em frente a ela quando abri os olhos.

- Tive que ser carregado só para vir para a floresta? Sabes que posso correr certo?

- Sim mas queria retribuir teres-me aturado a tarde inteira. – Agradeceu.

- Ah! Não era preciso, não foi nada, até foi divertido. – Disse eu honestamente, se não fosse pelas saudades da minha irmã teria sido o melhor dia da minha vida acrescentei mentalmente. – O que viemos aqui fazer?

- Tenho sede viemos caçar. Mas se quiseres podes ir buscar o carro e ir para casa por mim tudo bem.

- Está tudo bem vai lá eu espero.



Ness POV



- Pronto já se podem parar de abraçar. – Falou o meu pai.

- Okay, okay. – Resmunguei separando-me do Jake.

- Nessie? – Falou Ian que estava sentado no sofá com o Emmett.

- Fala.

- Mostra á tua família o que já sabes fazer.

- Mostra aí Ness. – Falou Jake.

- Okay. Pode ser naquele jarro Esme? – Perguntei apontando

- Desde que não lhe aconteça nada.

- É melhor mostrares com a bola de basebol do Emmett. – Falou o meu pai.

- Okay. – Fui a correr buscar a bolo e coloquei-a num lado da sala, depois segui para o oposto. Respirei fundo e prontos levitei a bola e atirei-a para bem longe pela janela aberta.

- Gostaram. Agora não me irritem ou faço-vos o mesmo. – Ameacei.

- Okay. – Responderam todos.

- Mãe? Anda comigo até lá em cima. – Chamei-a, subimos as duas e ela aguardou enquanto eu tomava banho e me vestia. – Sabes que eu te amo muito não sabes?

- Claro filha, eu também te amo.

- Posso tentar colunar o teu dom? Não o iria fazer sem a tua permissão mas o que eu disse atrás não era a tentar ser grascista, é mesmo verdade.

- Eu sei querida, e sim podes. – Coloquei as mãos na mão da minha mãe inspirei fundo e apenas fiz o que me vinha a cabeça. Depois soube que tinha resultado quando ouvi.

- Bella? Puseste o escudo na Nessie?

- Não pai! Agora eu tenho o meu próprio escudo! Agora ninguém vê o que eu penso a não ser que eu queira. Obrigado mãe! – Deitei-me encostada a minha mãe, e caí no sono.

Tania POV

Depois de uma longa caçada voltamos para ir buscar o carro e fomos directos para casa.

Chegamos e eu já estava para ir embora não gosto de ficar lá dentro há muita coisa com que lidar, e eu não quero.

- Alec?

- Fala.

- Por motivos meus não quero estar lá em casa, levas as minhas coisas para o meu quarto, por favor. E dizes ao meu irmão para ir ter comigo á floresta?

- Okay. – Foi apenas o que ele disse.

Quando estávamos perto da casa dos Cullen, saltei para fora do carro. Corri para longe, tenho que perceber o que se esta a passar comigo. Porque é que eu quero sempre a companhia do Alec? Ainda mais do que a do meu irmão. Toquei no colar que a minha mãe me deu, era uma herança de família e lá dentro tinha uma foto dela, era suposto eu passar a minha filha ou filho, mas isso nunca vai acontecer, sentei-me no ramo de uma árvore a olhar para o céu, seu ao menos a minha mãe estivesse cá, podia dizer-me o que se passa.

- Oi mana então? Não queres vir para casa? – Perguntou saltando para a minha beira.

- Aquela não é a nossa casa Ian, porque haveria de estar lá?

- Rabugenta. – Resmungou.

- Mano?

- Fala.

- Dás-me um abraço?

- Claro mana. – Puxei para um abraço muito forte. – Já agora. – Disse ele ainda me abraçando. – Como vai o teu namoro com o Alec?

- O MEU QUÊ? – Gritei começando a correr atrás dele. Perseguiu por toda a floresta ele correu para casa do Cullen e eu persegui-o por toda a casa quando ele estava quase a alcançar a porta conseguiu derrubá-lo. Apanhei-o pelo calcanhar e puxei-o ele foi se esperneando, mas eu consegui sentar-me em cima dele, agarrei-lhe a garganta.

- Retira a porcaria que disseste!

- Não.

- Retira. – Ordenei apertando-lhe mais a garganta.

- Nunca. – Ouvi o Edward a rir-se, deve ter ouvido nas nossas mentes o que se tinha passado.

- Luta entre irmãos fixe.

- R-E-T-I-R-A. – Soletrei lentamente apertando o máximo possível a garganta do meu querido irmão.

- Esta bem retiro o que disse. Desculpa! – Lentamente soltei-o. Levantei-me devagarinho e sorri para todos.

- Peço desculpa. – Olhei lá para fora tinha passado mais tempo do que eu pensava, estava a amanhecer. – Vou me vestir. Conlicênça. – Subi rapidamente até ao meu quarto. Tirei a roupa e fui tomar banho. Tirei o Alec da cabeça por causa do Edward, depois vesti-me e maquilhei-me.


Já estou mas sinceramente o que é suposto fazer agora?

- Entra. – Falei ao Ian antes de ele bater á porta, sentei-me na cama e ele também.

- Posso ficar um bocado aqui contigo?

- Sim claro. Mas espera! Tu estás bem? – Perguntei passando a mão pela testa dele.

- Sim estou, mas estou preocupado com amanhã, sabes, com tu te magoares.

- Oh mas que coisa Ian, temos a mesma idade, os meus poderes, dons semelhantes, somos vampiros com 2 dias de idade, temos dois escudos do nosso lado, o dom do Alec, o do Jasper, do Edward e os dons da Nessie, sem esquecer a força do Emmett a tua rapidez o que pode correr mal?

- Deixa-me pensar. Os Volturi são o triplo de nós. – Ironizou.

- E? O Alec pode por metade deles inconscientes, serão pouquíssimos os que terão dons que nos vão conseguir afectar. Não tens nada a temer. – Falei passado os dedos pelos cabelos do meu irmão, eu sabia que toda a gente nos estava a ouvir mas pouco me importava de hoje a 2 dias já não vou cá estar. Estremeci ligeiramente, e não entendi porque.

- Mesmo assim e se te acontece algo? És a minha única família. – Doía-me ver o meu irmão assim. Continuei a passar as mãos pelos seus cabelos desfazendo pelo caminho alguns nós.

- Não te preocupes, vamos estar sempre juntos, para o que der e vier. E, embora a gente discuta eu vou estar sempre aqui para ti. Ian, olha para mim, nós vamos ficar bem. – Afirmei tentando acalmá-lo. – Olha, podias ter dito que gostaste do meu visual. - Queixei-me tentando mudar de assunto.

- Ah sim. Estas perfeita, mas não precisas dessas coisas todas para isso, tu já és perfeita.

- Tá caladinho sim? – Eu não me acho feia mas também não sou perfeito, o meu irmão é.

- Eu tou a falar a serio mana.

- Eu sei. – Continuamos assim durante um bocado com o Ian abraçado a mim e eu a passar os dedos pelo seu cabelo. Embora ele seja mais velhos ás vezes eu sou mais responsável nós somos o pilar um do outro. Discutimos de vez em quando mas é nestes momentos que sabemos o quanto nos amamos.



Nessie POV



Acordei sozinha no quarto, amanhã chegam os Volturi, tenho que aproveitar hoje ao máximo, descansar e treinar ao mesmo tempo. Tomei banho e vesti uma fato de treino para treinar. ( Link: http://www.polyvore.com/cgi/set?id=43338126 ) pouco me importa a moda agora. Fui ao quarto do Jacob.

- Oi Jake. – Falei.

- Oi Ness. – Sentei-me a beira dele. – Olha vou treinar hoje se calhar não nos vemos por isso vim te dizer já um OI.

- Okay flor. – Dei-lhe um beijo na boca e saí com um grande sorriso.

- Então gente vamos treinar? – Falei descendo as escadas, depois percebi que fiz figura de ursa porque só estava cá o Emmett. – Hum. Vamos treinar Emmett.

- Claro!

Alec POV



Amanhã chegam os Volturi, e eu não sei como vai correr, voltara ver a minha irmã…

Agora posso estar a vontade com os meus pensamentos já que os Cullen foram caçar, acho que aqui em casa só estão os gémeos e a Nessie mas não sei nem quero saber.

Não entendo o que se passa comigo, gosto muito de estar com a Tania, fico feliz com a sua companhia fico descontraído, fico… diferente.

E depois quando não estou com ela, ou, estou afastado dela fico desanimado. Provavelmente é só impressão minha fico mais animado porque ela é alegre e contagia toda a gente e quando ela não esta presente, voltamos ao estado normal. Sim é isso, pelo menos quero acreditar que sim.

Sai do meu quarto e dirigi-me ao da Tania, não sei porque talvez fosse conversar com ela, qualquer coisa assim.

A porta esta entre aberta, então espreitei lá para dentro, vi a Tania linda, com um vestido sexy, o cabelo maravilhosamente penteado, maquilhada de preto, mas era o vestido que me chamava a atenção, era simples mas nela ficava de outro mundo, mostrava as suas pernas perfeitas e o inicio dos seus…seios. OMG eu pensei mesmo naquilo??

Ela estava agarrada ao irmão e passava os dedos pelos seus cabelos (do irmão), ele tinha os olhos fechados, como se estivesse a dormir e tinha a cabeça encostada ao peito da Tania. Se eu não soubesse que ele é vampiro diria que estava mesmo a dormir. Senti desejo de ser eu a estar ali no lugar do Ian. De ter as suas mãos no meu cabelo e as minhas nas suas…

Mas o que raio se passa comigo? Voltei para o meu quarto em velocidade vampiresca.



Tania POV



Com um bocado de poder e consegui por mesmo o Ian a dormir, bem ao menos quando estiver farta de aturar as pessoas posso dormir. Pareceu-me ver alguém á porta mas quando olhei para ver melhor não estava lá ninguém.

Apetecia-me ir ter com o Alec afinal acho que nos tornamos amigos e eu gostava da sua companhia.

Devagar pousei a cabeça do meu irmão na travesseira, e saí do quarto eu para ir a algum lado passo pelo quarto de metade das pessoas daquela casa. Por isso cruzei-me com o Alec.

- Olá. – Falei.

- Olá.

- Está mais alguém em casa?

- Não. – Respondeu. – A Nessie foi treinar com o Emmett, os outros foram caçar.

- Ah okay. – Falei e desci as escadas. Fui até uma das paredes em vidro e observei a floresta. Como a minha vida mudou… - AH! – Gritei. – AJUDEM-ME! – Estava cheia de dor no corpo era pior que o veneno. Senti uns braços frios a minha volta, olhei para cima e vi um anjo, será que morri? Depois desmaiei.

A dor era insuportável, conseguia sentir as células do meu corpo a mudarem, e doía, muito, fazia com que o veneno parecesse uma picada de insecto comparada aquilo, consegui ouvir o meu sangue voltar a correr. Voltar a correr? O coração voltou a bater, mas os sentidos ficaram mais apurados ainda. Depois parou. Abri os olhos e estava no meu quarto com o meu irmão e todos os Cullen, o Ian também tinha acabado de acordar. Mas estava diferente conseguia ouvir o seu coração bater, o sangue correr. Mas o cheiro do sangue era diferente não era apetitoso mas também não cheirava mal. Era neutro. Mas os olhos dele estão verdes outra vez.

Levantei-me num salto assustando toda a gente.

- O que aconteceu? Pareço um humano com reflexos de vampiros.

- Nem nós sabemos, mudaste as tuas células todas numa questão de horas. – Falou Carlisle. – Mas continuas a ser vampira, o teu sangue é neutro a todos nós, o coração bate mais lentamente que o normal, e tens os mesmo reflexos que um vampiro.

- Mana? Que se passou?

- Nem eu sei Ian. Mas continuamos vampiros?

- Sim. – Respondeu Carlisle.

- Então deve ter alguma coisa a ver com o nós sermos bruxos. – Falei. – Na boua desde que continue capaz de lutar.

- Sim claro vai ser capaz. – Falou Edward. – A mim parece-me que vocês acabaram de formar uma nova espécie de vampiros.

- Isso deixa-me muito contente. – Disse ironicamente.

- Mesmo. – Falou Ian.

- O que está feito está feito. – Falou Bella. – Vamos lá sair. – Saíram todos. Atirei-me para a cama.

- É sempre tudo complicado. – Falei.

- Sim mas pelo menos somos diferentes. – Disse Ian.

- Mas isso é bom?

- Yah.

- Pois para mim não. Vou dar uma volta, volto antes de ir-mos caçar, okay? – Dei-lhe um beijo na bochecha e sai pela janela.

Primeiro corri, depois andei simplesmente pela floresta. Até que parei de baio de uma árvore e deitei-me observando as nuvens.



Alec POV



Depois de nos cruzarmos ela desceu para a sala, eu também. Sentei-me a ver televisão, depois tudo aconteceu muito depressa. Estava tudo normal mas no instante seguinte a Tania e o Ian gritaram e ela começou a cair. Rapidamente a apanhei coloquei-a na cama dela a beira do irmão, e liguei ao Carlisle. Consegui-a ouvir o interior deles mudar mas o exterior continuava com a pele da mesma cor não entendia o que estava a acontecer.

Eles chegaram e esperamos que os gémeos acordassem, quando eles acordaram tivemos uma surpresa, os olhos outrora vermelhos estavam verdes, igual ao quando eles era humanos.

Depois não prestei atenção ao que se passou apenas vi toda a gente sair, e segui-os depois dei a desculpa que ia caçar e saí. Apenas ia dar uma volta, apanhar ar.

Andei devagar até que observei uma sombra debaixo de uma árvore. Não sabia quem era, logo saltei para cima das árvores camuflando o meu cheiro.

Era a Tania apenas que estava ali, que susto pensei que era um Volturi a expiar-nos, fiquei sentado no ramo.

Como a minha vida mudou, o que eu vou fazer amanha? Destruir ou ver a minha irmã ser destruída? Este era o meu impasse.

Olhei lá para baixo e vi a Tania rapidamente atirar uma coisa que não consegui notar iq eu era para mim e o meu ramo partiu. Eu cai em pé obviamente.

- Andas me, a perseguir? – Perguntou com raiva. Tentei responder mas ela continuou. – Por alminha de quem? – Disse ela, notei que os olhos dela estavam ligeiramente avermelhados.

- Calma. – Falei. – Eu não te estava a seguir juro. Se quiseres vou me embora. Eu apenas vim dar uma volta, nem sabia que tinhas saído. Depois vi alguém aqui e vim ver quem era.

- Okay. Desculpa a minha explosão. – Respondeu.

- Não tem mal, vou deixar-te. – Virei-me para ir embora.

- Se quiseres podes ficar. – Falou. Parei, devo ficar?

- Deves querer ficar sozinha assimilar tudo o que aconteceu… - Falei.

- Não, na boua, fica. – Falou.

- Okay. – Falei, e fui para o sítio onde ela antes estava deitada a aproveitar o sol, e sentei-me. – Sabes que o teu irmão vai ficar ciumento não sabes?

- Ciumento de quê? – Falou, vindo-se sentar a minha beira de frente para mim.

- De passares tanto tempo comigo.

- Ah. – Foi apenas o que disse.

- Como estás? – Perguntei.

- han? – Parece que não entendeu a minha pergunta.

- Devido a segunda transformação. – Esclareci.

- Há! É esquisito. Uma sensação diferente é tudo aumentado. Principalmente o tacto.

- Como assim?

- As sensações são mais fortes do que quando era como tu. É tudo mais quente, diferente. Tipo assim. – Colocou as minhas mãos no rosto dela, provocando pequenos choques e depois colocou as mãos no meu. – Sentes? – Falou.

- É, suposto sentir o quê? – Perguntei, não queria cair no erro de dizer algo errado.

- O calor, a minha pele, o cheiro…

- Sim. – Falei.

- Agora sente isto. – Ela mostrou o triplo daquilo que ela tinha falado. – É o que eu sinto sempre que toco em alguma coisa. – Disse. Tirou as mãos do meu rosto e eu também. – Antes que perguntes, não, não tenho o dom da Nessie, fui apenas eu a tentar fazer uma réplica do dom dela.

- Hum…É difícil não? Quer dizer… aguentar tanta coisa ao mesmo tempo.

- Acho que já me estou a habituar. – Murmurou.

- Okay…

- Mudando de assuntos. – Falou desta vez com uma voz mais presente. – Vais viver com os Cullen depois da batalha?

- Provavelmente. – Disse sinceramente.

- Hum. – Foi a única coisa que ouvi. Olhei para ela, estava realmente bonita, com aquele vestido… Eu já pensei nisto não já. – Fica quieto nem respires. – Ordenou. – Fiz o que ela mandou. Ela ficou imobilizada. E escutou.

- Que foi? – Perguntei. Tentando escutar alguma coisa.

- Não ouves?

- Não.

- Mas… eu ouço o meu irmão lá em casa, a Nessie a treinar, os outros Cullen dentro de casa.

- Mas como é possível? Ultrapassa o limite dos nossos ouvidos…

- Sim mas eu consigo ouvir. – Agarrou-me num grande abraço levantando-me do chão. – Continuo a ser vampira! – Exclamou com felicidade.

- Sim nós já te tinhamos dito isso.

- Sim mas eu agora sou melhor que vocês, vampiros normais.

- Sim claro.

- OLHA! Preciso que me digas uma coisa muito importante. – Falou.

- Diz.

- O que eu levo vestido para amanha na batalha?

- Que raio de pergunta. Sei lá.

- Ta bem. Eu arranjo-me. – Depois de dizer aquilo desfocou um bocado o olhar para além de mim.

- Que se passa? – Perguntei preocupado.

- Consigo ouvi-los. – Sussurrou. – Vieram mais cedo, chegam daqui a… 5 horas. Estam- -se a alimentar.

- Vamos avisar os outros. – Falei, ela sem dizer nada, seguiu-me.

Sem comentários:

Enviar um comentário

O mais simples dos comentários, dá força á autora para continuar a historia por mais um capitulo e com cada vez mais entusiasmo.
Só demora 1 minuto (e não faz o dedinho cair!) e alegra o nosso lindo e fraco coração = ) Se leu comente!
#Os insultos serão imediatemente eliminados#