29 março 2013

Live without Life


Capitulo XXIX

Sentamo-nos no sofá, ou melhor, eles sentaram-se eu quis ficar no chão.
- As minhas princesas sao mais talentosas, do que eu, pensava. - Falei sorrindo-lhes.
- Ela é, eu não. - Disse a Kika fazendo beicinho.
- Anda cá paixão. - Abri os braços e ela veio ter

Comigo. - Eu sei que em breve vais descobrir que também tens mais um talento a acrescentar a tua lista.

- A serio?
- Sim princesa. - Ela sorriu e foi para o sofá brincar com a Alex.
- Ajudas-a? - Perguntei a jane.
- Claro, ela é minha sobrinha.

Pouco tempo depois o Alec entrou, ligeiramente desalinhado, pela porta.

Remexi-me, incomodada, no meu sítio.

A Alex correu para o pai e ele pegou nela ao colo.
- Pai! - Disse emocionada. - Descobri que tenho o poder da tia Jane, posso causar dores as pessoas.

- Que bom, coração. - Esboçou um leve sorriso. - Como descobriste?
- Quando a tia Nessie atacou a mãe, eu fiquei chateada e... - Ela parecia embaraçada. - Quando dei conta, a tia Jane estava-me a chamar e a Nessie estava no chão.

Ele olhou para mim, senti que os seus olhos queimavam a minha pele, desviei o olhar.

Levantei-me e fui até a cozinha. Bebi um copo de água e molhei a cara.
Eu queria sair dali, afastar-me daquele olhar dourado penetrante, cheio de espectativa.

Não podia abandonar as minhas filhas novamente, não quando elas precisavam tanto de mim, e um perigo espreitava la fora.

Endireitei a coluna e voltei para a sala.
Encontrei o Alec deitado no outro sofá com as minhas filhas em cima dele, todos brincavam.

Sentei-me no sofá, agora vago (sabe-se la onde e que o Ian foi).

Encostei a cabeça e fechei os olhos, acabando por adormecer. Acordei já na cama e de manhã. Como tinha ali parar?

Suspirei com preguiça e tapei a cara com a travesseira, deixei a minha cabeça vaguear por imagens de alegria.

No meio da minha sequência de memórias, surgiu um para de olhos dourados. A maneira desesperada como ele me olhou na floresta, com os olhos a brilharem de tristeza. A alegria que vi no seu olhar na caverna, e por fim aquela espectativa na sala.

Incomodava-me, uma parte de mim, mesmo que bastante pequena, queria esquecer tudo, apenas para voltar a sentir aquela sensação de paz e felicidade, voltar a ver aqueles olhos dourados a sorrir...
A grande parte de mim, composta pelo meu coração e cabeça, não o permitia. Fervia de raiva dele, sentia nojo de tudo o que vi naquela noite, do seu toque, da paixão que outrora tivemos.

Levantei-me e fui tomar um banho. Depois de uma rápido banho vesti-me.

Fui para o quarto das minhas meninas, estranhando que elas ainda não estivessem acordadas.

Entrei num quarto com um sorriso nos lábios, este logo se desmanchou com aquele que vi.

Alec POV
Sentei-me no quarto das minhas filhas, enquanto elas dormiam, e fechei os olhos.

Imaginei que tudo estava bem, no meu mundo perfeito eu estava na nossa pequena clareira com a Tania.

Ambos sentados sobre as flores, ela estava a minha frente e tocava na minha face, brilhante,

Os seus olhos verdes, sorriam com sinceridade. Comecei a brincar com um dos seus caracóis castanhos.
De pois abri os braços e ela aconchegou-se no meu peito, suspirei alegre. Ela passava as mãos pelas minhas costas, numa caricia leve e saborosa.

- Já te disse o quanto te amo? - Perguntei.
Ela levantou a cabeça olhando-me nos olhos.

- Bom dia amores. - Falei levantando-me.

Elas coçaram os olhos e olharam para mim com um sorriso.

- Olá pai! – Dissera, e sorriram-me.

Fui até elas e começamos a brincar, elas riam-se muito e por momentos esqueci-me de todos os problemas, e da dor no meu peito.

Ouvimos a maçaneta ser girada, e pela porta entrou a Tania, bela como uma deusa e com um sorriso no rosto que se desmoronou ao ver-me.

Por mais que aquilo me tenha custado, forcei-me por manter normal e disse:

- Não precisas de sair, eu saio.

Ela fintou-me por um segundo.

- Não e preciso, podemos ambos ficar.

Antes que algo mais fosse dito a Alex e a Kika foram ter com ela.

- Bom dia mãe.


- Bom dia princesas. – Observei, atentamente, enquanto ela lhes beijava a face, por momentos, senti inveja das minhas filhas.

- Vou preparar o vosso pequeno-almoço, o pai já vem. – Disse.

Elas sorriram-me e eu saí do quarto.

Tania POV

Ele saiu e um sorriso mais verdadeiro formou-se nos meus lábios.

- Mãe? – Chamou a Alex.

- Sim, princesa.

- Que se passa entre ti e o pai?

Boa pergunta! E agora, o que respondo?
************************+
Eu sei que está super pequeno e peço muita desculpas mas houve varias complicações durante estes dias, prometo que estamos a fazer tudo o possivel para não ficarem sem as vosssas fics.
Em breve novidades ^^
 

Sem comentários:

Enviar um comentário

O mais simples dos comentários, dá força á autora para continuar a historia por mais um capitulo e com cada vez mais entusiasmo.
Só demora 1 minuto (e não faz o dedinho cair!) e alegra o nosso lindo e fraco coração = ) Se leu comente!
#Os insultos serão imediatemente eliminados#