24 março 2013

Two Realities






CAPITULO 26 – Paz finalmente
Assim que verifiquei toda gente corri para o Edward para o abraçar. Colei os nossos lábios num beijo apaixonado.
- Estás bem?
- Sim e tu amor?
- Parece que me tiraram um peso de cima.
Sorri-lhe e fomos ter com os outros.
- Estão todos bem certo? - Perguntei olhando para todos.
- Sim estamos. - Respondeu a Esme.
- Eu preciso de ir buscar a Renesmee. – Falei.
- Eu tenho uma pergunta Bellinha, como tencionas encontrá-los? - Perguntou a Jane.
- Não sou assim tão burra, maninha! – Revirei os olhos. – Eu dei-lhes um telemóvel, do qual apenas eu, conheço o número.
- Foi bem pensado Bella. Assim, o Aro nunca saberia como os encontrar. - Disse o Alec.
- Pudemos ir? – Pedi. – Preciso de ver a minha filha a salvo para puder festejar.
- Vamos lá eu quero a minha família toda junta de uma vez por todas. - Disse o Edward pegando a minha mão e entrelaçando os nossos dedos…
Corremos para casa, entrei primeiro que todos agarrando telefone. Marquei o número e esperei, ansiosamente, para ouvir alguma resposta do outro lado da linha.
- Bells? – Ouvi a voz aliviado do Jake.
- Diz-me que está tudo bem. – Pedi.
- Sim, ela está bem.
- E tu também, certo?
- Sim, estamos os dois bem.
- Okay, onde é que vocês estão?
- Londres. – Respondeu.
- Deixa-me falar! Deixa-me falar! – Ouviu-se a voz da minha linda menina.
- Passa-lhe. – Pedi.
- Olá mãe, vocês estão bem? - Perguntou ela, com a sua voz de anjo.
- Sim princesa, nós estamos todos bem.
Eu só queria chorar por saber que ela estava bem e por ouvir a sua voz.
- Estão mesmo todos bem? – Perguntou incerta.
- Sim. – Garanti. – Vamos agora buscar-vos.
- Okay, passas ao pai por favor?
- Claro que sim, princesa, eu amo-te.
- Eu também te amo mãe, e tenho muitas saudades tuas.
Passei ao Edward com um sorriso, e fiquei a escutar a sua conversa, assim como todos na sala.
Ele desligou o telefone pousou-o e pegou-me na mão.
- Vamos buscar a nossa filha.
- Nós também vamos. – Falou a Rosalie e todos assentiram.
Sorri-lhes e fomos para dentro dos carros partindo a alta velocidade, para o aeroporto.
O Carlisle foi falar com uns homens e quando voltou disse para entrarmos no avião.
Mal conseguia ficar parada no avião, andava sempre de um lado para o outro. Só pensava em ver a minha filha nos meus braços.
Sem contar senti uns braços a agarrar-me.
- Tem calma, ela está bem.
- Eu sei, mas só vou estar descansada, quando a tiver nos meus braços.
- E vais ter, relaxa, vais ter a eternidade para isso. - Disse ele, e de seguida beijou-me a testa.
- Eu sei. – Murmurei.
- Vá, vem sentar-te ao meu lado, um pouco.
Segui-o, e sentei-me ao seu lado, com a cabeça encostada ao ombro dele. Fechei os olhos, e fiquei a descansar a cabeça, até estarmos quase a chegar.
Comecei a procurá-los, e a procurar os seus cheiros, para depois poder correr até à minha filha, e abraça-la, e nunca mais larga-la
Encontrei-os, e, no máximo que a velocidade humana permitia, corri para lá.
O Jake estava sentado no banco à frente mas virado para nós e a observa-la a dormir
Sorri-lhe.
- Correu mesmo tudo bem?
- Sim Bella, nós conseguimos escapar, sem sermos seguidos, e chegamos bem ao aeroporto, e o voou, correu bem.
- Ainda bem. E os lobos? Não causaram problemas?
- Não fica descansada, não houve nenhum problema.
- Ainda bem.
Entretanto o Edward aproxima-se e senta-se ao meu lado.
- Então amor, descansada?
- Sim finalmente
Ele pegou-me o rosto e beijou-me.
- Agora, vamos ficar juntos.
Eu sorri e senti a Renesmee mexer-se.
- Já chegamos? - Perguntou ela ainda ensonada.
- Quase flor. - Respondi-lhe. - Volta a nanar.
Ela não disse nem uma palavra e voltou a dormir serena
Beijei-lhe a testa e voltei a encostar-me no banco.
- Quanto tempo falta para chegarmos? - Perguntei.
- Que eternidade. - Resmunguei.
- Tem calma Bella, já faltou mais tempo. - Disse a Jane.
- Eu sei, mana.
- Estamos quase em casa. - Disse o Edward metendo a mão na minha perna.
Sorri-lhe.
- Casa.
O tempo passava devagar e eu estava a passar-me, estava a ficar cansada de estar naquele avião, queria estar a brincar com a minha filha ou então finalmente matar saudades do meu rei.
Queria finalmente ter a eternidade ao lado da minha verdadeira família. Aqueles que eu amo.
Entretanto alguém tira-me dos meus pensamentos tocando-me no ombro.
- Não estavas ansiosa por voltar a casa? Já chegamos. - Disse o Edward com o meu sorriso torto favorito.
Acordei a minha menina com um beijo na testa, ela começou a abrir os olhos.
- Já chegámos princesa.
- Boa! - Despertou imediatamente saltando do meu colo. - Vamos para casa!
Eu sorri, levantei-me e fui de mão dada com o Edward. Fomos para casa, onde eu espero que possamos ficar por toda a eternidade
Entramos e eu e o Alec sentamo-nos no sofá.
- Então mano, em que maluquices, nos vamos meter agora?
- Não sei.
- Que achas Jane?
- Eu estou a pensar arranjar alguém. – Falou e sorriu-me.
O Alec fez má cara.
- Finalmente. - Respondi com um sorriso
- Não sei para quê, tu não estás bem assim? - Perguntou o Alec.
Ela apertou-lhe a bochecha com a mão.
- Não, não estou. – Falou e sorriu-lhe. – Tu também precisas de alguém.
- Para quê?
- Para seres feliz. - Disse eu olhando-o.
- Eu sou feliz. – Resmungou.
Senti os braços do Edward envolverem-me.
- És sempre melhor se tiveres alguém para amar. Acredita, também pensava como tu.
- Mas e se eu não quiser?
- Acredita quando encontrares a pessoa certa vais querer. - Disse e beijou-me em seguida.
Fomos interrompidos pela Alice que vai a saltitar até nós.
- Fazemos uma festa?
- Não, por favor. - Dissemos eu e o Alec.
- Sim andem lá vamos nos divertir um pouco. - Respondeu a Jane, acho que ela e a Alice, deviam de ser irmãs.
- SIM! – Ouviu-se a Renesmee.
- Eu acho que temos três gémeas malévolas contra nós. – Disse ao Alec.
- Oh, por favor, sim? - Pediu a minha menina com os seus olhinhos de anjo virados para mim e para o Alec.
- Eu bem que podia dizer que não, mas não ia adiantar de nada, ninguém, consegue deter a Alice. – Falei.
- Obrigada mãe. - Disse a Renesmee abraçando-me.
- Anda Nessie temos de ir fazer compras. - Disse a Alice.
- Também vou! – Disse a Jane, já lá fora.
Revirei os olhos e atirei-me para o sofá.
- Eu também. - Comentou a Rose. – Bella, não queres vir? – Perguntou, voltando-se para mim.
- Não, eu estou bem aqui.
- Anda lá mãe, por favor.
- Vá, vem Bella, não vai ser aqui que vamos fazer compras. - Disse a Alice pondo-se ao lado da minha filha e dando-lhe a mão.
- Não, a serio, vão vocês. Sem mim até podem ir a mais sítios. – Disse referindo-me ao facto de não puder ser vista em Forks.
- Vá nós vamos até Seattle, ninguém te conhece lá. - Insistiu a Jane.
- Não. – Falei e cruzei os braços.
- Vamos, senão não temos tempo. – Disse a Lice.
Elas saíram e o Emmett apareceu e sentou-se no outro sofá.
- Porque é que eu acho, que andas a tramar alguma coisa?
- Eu? Mas eu sou um santo.
- E eu sou loira.
- Prontos, olha Alec, queres vir comigo jogar futebol?
- Vamos. – Disse, levantando-se imediatamente.
- Quero assistir. – Disse eu.
- Longe de casa! – Disse a Esme.
- Vamos.
- Eu não quero ir. - Disse o meu rei sentando-se.
- Porquê? - Perguntei-lhe.
Agarrei-lhe as mãos e levantei-o.
- Anda comigo. – Pedi e fiz beicinho.
- Não quero amor, estou cansado.
-Mas os vampiros não se cansam.
Ele deu-me um sorriso torto.
- Anda-me fazer companhia.
- Vêm ou não? – Perguntou o Emmett do lado de fora.
- Vão vocês.
- Então, eu também fico.
- Chau. – Falaram.
Sentei-me ao lado do Edward e ele puxou-me as pernas para cima das dele.
- Então que fazemos? - Perguntei.


Sem comentários:

Enviar um comentário

O mais simples dos comentários, dá força á autora para continuar a historia por mais um capitulo e com cada vez mais entusiasmo.
Só demora 1 minuto (e não faz o dedinho cair!) e alegra o nosso lindo e fraco coração = ) Se leu comente!
#Os insultos serão imediatemente eliminados#