06 agosto 2013

Live without Life


Capitulo XXXVI – Parte 1

- Tenham cuidado! – Avisou o Alec.

As minhas filhas apenas sorriram e correram para as diversões com a Rosalie. Sentei-me no meio das pernas do Alec, que estava encostado a uma árvore, ao lado da Alice e Nessie que falavam sobre moda.

- Quero entrar. – Disse referindo-me a conversa.

- Estamos a pensar renovar o guarda-roupa de toda a gente, afinal está tudo fora de moda. – Falou a Alice.

- Todos? Isso vai demorar meses. – Disse.

A Nessie riu-se.

- A Alice faz isso numa semana, mas vai arrastar-nos para Paris.

A Alice concordou com a cabeça e eu sorri. Peguei na mão do Alec:

Eu – Por que não vais jogar com os rapazes amor? Eu sei que não gostas destas conversas.

Ele sorriu-me e beijou-me a bochecha.

- Tens razão. – Eu afastei-me para que ele se pudesse levantar. – Continuem a conversa meninas. – Sorriu a Alice e a Nessie e saiu.

Eu deitei-me de barriga para baixo a olhar para elas.

- Eu quero ir a Paris. – Sorri.

- Eu vou programar tudo para que possamos ir, afinal também vamos ter de comprar um vestido de n… - Ela tapou a boca com as mãos. – Desculpem, ia falando demais.

Eu olhei para a Nessie confusa, esta apenas encolheu os ombros.

- Continuando…quando pensas lá ir? – Questionei.

- Deixa-me ver. – Ela concentrou-se um pouco. – O próximo fim-de-semana vai chover lá, momento ideal.

- Eu e a Tania podemos ir mesmo que esteja Sol. – Gabou-se a Nessie.

A Alice fez uma careta e nós voltamos a entrar numa conversa animada. Então ouvi os passos delicados das minhas filhas.

- Ma…Tania anda brincar connosco. – Pediu a Kika.

Eu levantei-me e sorri:

- Depois continuamos a conversa. – Virei-me para elas. – Vamos lá princesas.

Elas agarraram-me nas mãos e puxaram-me com elas, eu ri-me e segui-as até aos baloiços.

Eu empurrava-as para que balançassem mais e as gargalhadas delas faziam-me rir, finalmente, estávamos todos juntos.

Algum tempo depois…

- Eu não sei jogar isso! – Repeti.

- Anda mãe, precisamos de ti na equipa. – Falou a Alex.

Suspirei, jogar basebol não era algo que eu já tenha feito na minha vida, embora já tivesse assistido a um ou dois jogos.

- Prontos, mas eu não sei jogar, já estão avisados! – Resmunguei e Alice puxou-me pelo braço.

- Vai ser divertido! – Afirmou.

- Vamos lá eu quero ganhar isto! – Dizia o Emmett.

Todos nos rimos e eu pus-me onde eles disseram. A partida começou com o Emmett a bater e a Alice a lançar.

Honestamente, não sei de que material aquele taco é feito, porque mesmo com a força do Emmett, ele não se partiu.

A Kika que estava, na equipa contrária, a do Emmett, logo devia apanhar a bola, fez algo que eu acho que é contras as regras, mas o regulamento não deve mencionar isso. Ela esticou a mão e usando o vento, atirou-a para as mãos da Esme.

Todos se riram, menos o Emmett, que cruzou os braços amuado:

- É batota. – Queixou-se.

- Deixa de fazer fitas. – Repreendeu a Esme. – Ela é uma criança.

Ele fez uma careta e virou-se para a Kika com um sorriso travesso:

- Eu apanho-te. – Ameaçou.

- Arranco-te os dedos. – Ameaçou o Alec.

E todos nos rimos novamente. Depois foi o Carlisle a bater e assim sucessivamente. No fim, foi um ótimo dia em família, todos nos rimos muito com as palhaçadas do Emmett e das minhas princesas.

Tinhamos acabado de chegar a casa e a Esme cozinhava para nós, pelo menos aqueles que comiam, e as minhas filhas tinham ido tomar um banho.

- Mana? – Virei-me para o Ian.

- Diz.

- Preciso de falar contigo, podemos ir até a floresta? – Ele parecia…nervoso?

- Claro mano, vamos. – Peguei-lhe na mão e puxei-o para fora.

Corremos para o meio da floresta, e abrigamo-nos da chuva debaixo de uma grande árvore, não sem antes, o Ian afastar a água de nós.

- Então, fala. – Encorajei, analisando o seu rosto. – Passa-se alguma coisa de errado?

- Hum…bem…eu…

- Calma, mano, respira. – Pedi. – Eu não te vou morder, fala normalmente.

Ele inspirou fundo.

- Eu vou casar. – Disse de uma vez.

- Tu o quê?
************************************
Desculpem o facto de ser pequena e a minha demora =S
Primeira parte do ultimo capitulo.
Será que a Tânia se vai passar? Ou apoiar o irmão?

Sem comentários:

Enviar um comentário

O mais simples dos comentários, dá força á autora para continuar a historia por mais um capitulo e com cada vez mais entusiasmo.
Só demora 1 minuto (e não faz o dedinho cair!) e alegra o nosso lindo e fraco coração = ) Se leu comente!
#Os insultos serão imediatemente eliminados#