06 outubro 2013

Hatred Became Love


Capitulo 6

 

PDV Original Bella

 

O treino de basquetebol passou num ápice e mais rápido do que eu queria já estava a tomar banho dos balneários.

Terminei de me vestir e amarrei o cabelo, caminhei calmamente para fora. O Emmett vai matar-me por ter demorado tanto!

Esforcei-me para ver no escuro, adivinhem? A escola de Forks não tem candeeiros no estacionamento!

- Agora é melhor ires ursinha. – Ouvi a voz do…Emm?

- Eu sei, já vou. – Aquela era a voz da Rose? – Até amanhã.

Ouvi leves passos afastarem-se e caminhei em direção ao leve contorno do carro do Emmett.

- Já cá estou. – Falei.

- Bella? – Disse o Emmett.

- Sim, quem querias que fosse? – Revirei os olhos e passei as mãos pelo carro ate encontrar a porta.

- Hum…ninguém, vamos.

Eu ri baixo, amanhã já podia chatear a Rosalie e depois, só depois irritar o Emmett para o resto da vida.

Ele ligou o carro e dirigiu para casa em silêncio, o Emm nunca conseguia ficar em silêncio muito tempo, isto era muito esquisito.

 

Edward PDV

- Por amor de deus larga-me! – Disse irritado, olhando para a loira agarrada a mim.

- Eu sei que gostas que eu esteja colada a ti. – Ele agarrou-se mais a mim.

Empurrei-a pelos ombros com um pouco mais de força do que devia e ela caiu ao chão, mas, alguém disse que me importava?

Ajeitei a camisa e virei costas, caminhando para longe. A Irina era bonita, da claque e tal, mas por deus, era chata como tudo!

Bufei e fui para o meu Volvo, embora já fosse tarde, eu encontrava-me muito longe de casa e não podia chegar muito depois da meia-noite ou ia levar um sermão da Dona Esme.

Dirigi depressa pelas ruas que iam dar a minha casa, ás vezes não me convinha muito morar tão longe da cidade, demorava um monte e tempo a chegar a casa.

Bufei e concentrei-me na estrada. Passados uns 45min. Já estava em casa, abri a porta e fui silenciosamente para o meu quarto, não podia ser notado.

Para minha sorte, não fui! Atirei-me para a cama e deixei-me cair no sono ainda vestido.

 

PDV Original Bella

Acordei de bom humor, tomei um bom banho e vesti a primeira coisa que me apareceu e desci as escadas.

Estava alegre com a proximidade do grande jogo, estava confiante que pela primeira vez, a equipa feminina ganharia e o orgulho da escola deixaria de ser só a equipa de futebol masculino.

Bufei e entrei na cozinha, retardados machistas.

- Bom dia Bella. – Cumprimentou a minha mãe.

- Bom dia, mãe, Emm. – Falei e peguei numa maçã e numa taça de cereais.

O Gigantone acenou-me com a mão, já que tinha a boca demasiado cheia para dizer alguma coisa.

Abanei levemente a cabeça e comecei a comer, hoje teria treino e nada mais importava. Espera, nada mais não, tinha que chatear a Rose e o Emmett, afinal eles namoram e não disseram nada a ninguém, pelo menos a mim não me disseram.

Passados uns minutos já estávamos a caminho da escola.

- Emmett?

- Diz Bellinha.

- Estás solteiro? – Questionei e levantei a sobrancelha.

- Hum…sim. – Mentiu.

Tudo bem, vamos fingir que eu acredito.

- E não gostas de ninguém?

- Não há ninguém interessante em Forks. – Respondeu sem olhar para mim.

- Aí não?

- Não, mas porque perguntas?

- Nada, nada. – Disse e saí do carro, como já estávamos um pouco atrasados, caminhei rapidamente para a minha sala de aula.

Cheguei dois minutos depois do toque e já tive que levar com o setor, a vida e injusta! Infelizmente amanhã passou rápido demais para puder falar com a Rosalie, á hora do almoço também não podia falar porque o Emmett estava lá.

Mas para minha surpresa assim que lá cheguei, vi a Alice a fazer de vela enquanto eles se beijavam.

- Estão juntos? – Perguntei-lhe e ela assentiu.

- Ainda bem que chegaste, estava farta de aqui estar.

Eu ri.

- Deixa-os estar, desde que sejam felizes. – Encolhi os ombros e comecei a comer.

O tempo do almoço passou rápido, assim como todo o dia e semana, em tão pouco tempo, estávamos a um fim-de-semana do grande jogo.

- Vamos! Mais depressa! – Gritava a treinadora.

Estávamos a encher no último treino antes do jogo, acham isto normal? Uma, duas, três, quatro, cinco … dezanove, vinte. Deixei-me cair lentamente no chão, ouvia-se protestos atrás de mim, já tinhamos feito 45 flexões e qual era a lógica, já que jogamos com as pernas? Não me perguntem!

- Agora alonguem e podem sair. – Mandou.

Estiquei os músculos com satisfação e saí com as outras. Depois de um bom banho e de ouvir toda aquela conversa da treta, saí com a Rose e a Lice para o parque de estacionamento.

- Morri. – Disse a Alice entrando no carro dela.

- Amanhã eu enterro-te. – Falei rindo. – Tenho que ir o Emmett vai matar-me, vemo-nos Segunda.

Despedi-me de ambas e fui até ao carro do Emm.

- Tanto tempo? – Resmungou.

- Tenta safar-te no meio de 30 raparigas! Além disso estivemos a encher.

Ele riu-se.

- Isso, eu queria ver!

- Idiota. – Resmunguei e entrei no carro.

Sem comentários:

Enviar um comentário

O mais simples dos comentários, dá força á autora para continuar a historia por mais um capitulo e com cada vez mais entusiasmo.
Só demora 1 minuto (e não faz o dedinho cair!) e alegra o nosso lindo e fraco coração = ) Se leu comente!
#Os insultos serão imediatemente eliminados#