06 outubro 2013

I Became Better


Capitulo 5

Assim que as aulas acabaram, andei rapidamente até ao meu carro. Tinha de me preparar para a minha saída e ajudar a Alice.
O meu irmão quase não me apanhava para também ir para casa.
- Menos nervoso agora, maninho?
- Não, agora estou ainda mais.
- Vocês são tão complicados.
- E não.
- São sim.
- Eu estou nervoso, não sou complicado.
- És sim, por amor de deus, o que e que tem de complicado um encontro?
- É que o encontro é com uma amiga minha, e eu não quero estragar tudo.
- Vocês são tão tapados. - Resmunguei.
- E tu com o Tyler? Nunca lhe deste bola, e agora, do dia para a noite, vão sair?
- Estamos a falar de ti, não de mim.
- Rose, isso já está falado, eu não vou deitar tudo a perder, não vou acabar com minha amizade com a Alice.
Estacionei o carro na garagem.
- És um completo idiota Jasper Hale. - Resmunguei e sai do carro.
- Saio a ti. - Disse e meteu a língua de fora
Bati a porta com a força e fui para o meu quarto. Pousei a mochila e fui o meu armário procurar uma roupa para levar para o encontro de hoje.
O meu telemóvel começou a tocar, fui buscá-lo à minha carteira.
- Sim?
- Rose, preciso da tua ajuda.
- Para?
- Não sei o que vou levar para hoje.
- Leva o vestido azul-escuro.
- Não posso, ele desapareceu não o encontro em lado nenhum.
- Veste qualquer coisa, ficas bem com qualquer coisa
- Mas é do teu irmão que estamos a falar, tem de ser algo especial.
- O Jasper é simples.
- Mas, e se eu for demasiado vulgar, e ele olhar para outra?
- Que complicações. Tenho de me arranjar, boa saída Alice!
- Okay, obrigada na mesma.
Desliguei e atirei o telemóvel para cima da cama.
Mas o que é que eu vou vestir? Deixei a roupa de lado e fui tomar um banho.
Saí da casa de banho com a toalha enrolada em mim. Peguei num vestido rosa pelos joelhos e nuns sapatos de tacão rosa.
Vesti-me e fui-me pentear e maquilhar, destaquei os meus olhos azuis e passei um batão vermelho nos lábios.
Peguei numa carteira de mão pequena rosa e meti lá o meu telemóvel e as minhas chaves de casa.
Desci e fui comer qualquer coisa.
- Estás muito linda mana.
Avaliei-o de alto a baixo.
- Para quem vai sair com uma amiga... - Comentei.
- Ela pode ser minha amiga, mas não deixa de ser um encontro.
Revirei os olhos.
- E tu agora vais falar-me do Tyler, ou vais voltar a desviar o assunto?
- Ai maninho que melga, o que e queres saber?
- Por que razão, tu num dia só queres que o Tyler desapareça, e no dia seguinte, vais sair com ele?
Encolhi os ombros.
- Rose, nós somos irmãos sabes que podes contar-me tudo.
- Esta bem, esta bem.
- Vais contar?
- Não.
- Diz-me mana.
- Jasper, xau.
- Eu vou descobrir Rose, nem que seja a última coisa que faça.
- Sim, sim.
- Se vais sair com o Tyler porque ele te dá bola significa que... Já sei! Estás a fazer ciúmes a alguém.
- Nop.
- É sim, tu fizeste a cara.
- Eu não preciso de joguinhos, sabes disso. Todos naquela escola estão aos meus pés.
- Nem todos.
- Tens razão, os gays não.
- Não são só os gays Rose, tu sabes de quem eu estou a falar.
- Não, não faço ideia.
- Vá lá Rose, não mintas ao teu irmão, que te conhece melhor que ninguém.
- Não sei se conheces. - Botei a língua de fora.
Tocaram a campainha.
- Bem deve de ser o Tyler, e tu não deverias ter ido buscar a Alice?
- Vou sair agora.
- Leva o teu carro! - Resmunguei.
- Okay.
Levantei-me e fui até a porta.
- Olá Rose, estás linda como sempre.
- Oi Tyler.
- Vamos?
- Claro.
Ele seguiu à minha frente até à porta do passageiro e abriu-a.
Entrei e pus o cinto de segurança, ele deu a volta e entrou e seguimos para o cinema. Íamos ver uma comédia romântica
Entramos e sentamo-nos. O filme começou e o Tyler começava a esticar o seu braço para me abraçar. Deixei-o.
Eu tinha de ter contacto físico para poder falar no dia seguinte, eu não podia passar por mentirosa.
Tentei prestar atenção ao filme. Todos riam em cenas que era suposto rir menos eu, aquilo de comédia não tinha nada.
- Que filme sem graça. - Falei assim que saímos.
- Eu gostei, e o que vamos fazer agora?
- Não sei.
- Queres ir até a algum sítio menos povoado?
- Vamos dar uma volta pelo centro
- Okay.
Caminhamos pelas diversas lojas. Ele deu-me a mão e continuámos assim de mãos dadas até termos dado a volta ao centro.
Onde será que o Jasper com Alice, e o Edward com a Bella andam?
- Estás a pensar em quê?
- Nada.
- Está bem linda. - Disse e voltou a olhar em frente, espera ele chamou-me linda? Mas que raio só uma pessoa me pode chamar isso e com certeza não é ele.
- Esta a ficar tarde, tenho de ir para casa.
- Okay, eu levo-te.
Seguimos para o carro e depois ele levou-me a casa. Ele estacionou em frente à minha porta.
- Diverti-me bastante Rose.
- Vemo-nos amanhã. - Disse secamente e sai.
Entrei em casa e fui direta para o meu quarto.
Que seca de encontro, pensei.
Fui à casa de banho para tomar um banho e poder ir dormir. Deitei-me na cama. Fiquei a pensar no que tinha acontecido entre mim, o Emmett e a Tanya.
Porcaria, tinha de lidar com a Tanya na segunda mas, também, vou ter de contar a Alice e , a Bella o que se passou. Talvez não, elas não sao as melhores nestas confusões...
Mas o Emmett tem de morrer de ciúmes e cair aos meus pés assim como os outros. Peguei no computador e entrei no Facebook.
Vi dois pedidos de amizade.
Um do Tyler, já sabia, e o segundo é que me deixou de boca aberta, o Emmett pediu-me amizade.
Aceitei ambos, agora sim ia começar o jogo, tinha várias notificações que ignorei.
Não havia nada de interessante no face, nem mesmo pessoas, como num sinal de salvação entrou o Emmett.
Emmett: Então como correu o teu encontro o... Como é que ele se chama mesmo?
Eu: Tyler. Correu bem
Emmett: Fixe.
Eu: E tu saíste?
Emmett: A Tanya bem que tentou mas ela não é muito o meu estilo, e por falar nisso, estou a dever-te uma.
Eu: na boa, eu precisava de um motivo para a por no lugar.
Emmett: Obrigado.
Eu: de nada.
Emmett: Que fazes amanhã?
Eu: nada porquê?
Emmett: Tenho de devolver as roupas do teu pai e queria saber se ias estar por casa.
Eu: Hum...em principio vou.
Emmett: Okay então passo por aí de tarde, pode ser?
Eu: sim.
Emmett: Infelizmente tenho de ir até amanhã, dorme bem.
E ele saiu, eu estava meio esquisita, olhei para quem estava on, a Jéssica estava.
Eu: então?
Jéssica: Está tudo?
Eu: não e isso, o que aconteceu a outra?
Jéssica: Bem digamos que se ela ainda não tinha atingido o fundo atingiu agora isso posso garantir-te.
Eu: ainda bem
Jéssica: Vou dormir beijinhos.
Desliguei o computador e deitei-me. Acordei na manhã seguinte a sorrir, também, o Emmett vem à tarde.
Levantei-me, tomei um longo banho e fui-me vestir. Vesti algo simples para ficar em casa mas elegante como tinha de ser sempre. Desci e fui tomar o pequeno-almoço.
Cheguei à cozinha e vi o meu irmão a suspirar.
- Ficaram? – Questionei.
- Hã?
- Tu e a Alice, idiota!
- Ei! Idiota mas ela gosta.
Agarrei-lhe a cabeça e despenteei-o.
- Nunca mais questiones a minha sabedoria.
- Pará! Mas sim tinhas razão estou a dever-te uma.
- Eu tenho sempre razão, maninho. - Larguei-o e sentei-me.
- Então tu e o Tyler?
- Que tem?
- Como correu o vosso encontro?
- Normal.
Comecei a petiscar o que estava em cima da mesa.
- Mana.
- Sim?
- Diz-me, quem queres?
- Neste momento a comida.
- Tu sabes ao que me refiro.
- És um chato. - Resmunguei. - Ninguém
- Vou fingir que acredito.
- Pensa o que quiseres.
- Okay, vou-me arranjar.
- Vais sair?
- Vou, tenho coisas combinadas.
- Ok.
Voltei a petiscar, levantei-me e fui para a sala ver televisão.
Não estava a dar nada de jeito, estava completamente aborrecida. Então decidi ir dar um mergulho, fui vestir um biquíni e fui para a piscina interior.
Sentei-me em cima de um sofá insuflável dentro de agua a ler uma revista. Estava quase a dormir quando a empregada apareceu à minha frente.
- Menina Rosalie, tem uma visita. – Informou a empregada.
- Quem é?
- Um rapaz, alto, cabelo preto... – Explicou.
- Deixe-o entrar. – Mandei interrompendo-a.
- Com licença. - Ela saiu da divisão e eu da piscina.
Peguei no robe e pus-lo nas minhas costas.
- Posso? – Perguntou a voz do Emm.
Virei-me e olhei para o Emmett.
- Claro que sim. - Respondi-lhe com um sorriso.
Ele beijou-me a face e depois entregou-me uma saca.
- Normalmente, prefiro receber uma rosa. - Brinquei.
- Pois eu também não me esqueci disso. - Falou a sorrir tirando atrás dele a mão com uma rosa, logo essa tinha de ser vermelha.
Peguei na rosa e sorri-lhe.
- Não precisavas.
- Precisava de te agradecer por ontem e como não tinha a certeza do que oferecer optei por algo simbólico.
- Bem, acertaste. - Apontei para a cadeira. - Senta-te.






Sem comentários:

Enviar um comentário

O mais simples dos comentários, dá força á autora para continuar a historia por mais um capitulo e com cada vez mais entusiasmo.
Só demora 1 minuto (e não faz o dedinho cair!) e alegra o nosso lindo e fraco coração = ) Se leu comente!
#Os insultos serão imediatemente eliminados#